Como aproveitar componentes electrónicos rapidamente e com segurança

Olá outra vez! Um dos hábitos que tenho é levar dispositivos electrónicos velhos para casa apenas para os desmontar e aproveitar os diversos componentes electrónicos ou mecânicos tais como motores de passo ou DC que os mesmos possam conter. É sempre uma excelente maneira de aprender electrónica e poupar algum dinheiro. Às vezes ficamos a conhecer um novo circuito integrado… outras consegue-se aproveitar algum outro circuito integrado bastante dispendioso… outras consegue-se um circuito integrado que nem se conseguirar comprar se se quisesse apenas um ou dois… Por isso, o meu conselho  para todos os que gostam de passar o tempo a fazer projectos electrónicos é começar a recolher todos os aparelhos electrónicos que os vossos familiares e amigos deitem fora.
Até há algum tempo atrás costumava dessoldar os componentes com o ferro de soldar e um chupa-soldas, o que se traduzia num processo lento e às vezes ainda cansativo e irritante quando queria aproveitar algum componente com vontade própria de permanecer agarrado à placa e que muitas das vezes acabava por ficar unitilizável com patas arrancadas ao fim de 5 minutos a aquecer, puxar para aqui e empurrar para ali. A remoção de conectores ou circuitos integrados era particularmente difícil por causa da quantidade de pinos que têm. E a pior parte é que não era nada saudável estar tanto tempo de volta de uma placa a respirar os fumos da solda. Porém, agora uso outra técnica! 😀
 

Dessoldar componentes com pistola de ar quente

Há uns tempos vi uma página do site pcbheaven que descrevia uma maneira rápida e eficiente: utilizar uma pistola de ar quente! O vídeo da página que referi convenceu-me e acabei por ir a uma loja e comprei a pistola mais barata que encontrei, uma BT-HA 2000 da Einhell, com 2000W e que aquece dos 350ºC aos 550ºC. Custou cerca de 25€ mas desde há uns tempos para cá já vi pistolas semelhantes mais baratas. Quando cheguei a casa comecei a experimentá-la e funcionou exactamente como desejava :D. Tornei-me fã da técnica de dessoldar componentes com ar quente 😛 Em cerca de uma hora e meia dessoldei todos os componentes mostrados nas imagens. Poderia ainda ter removido muitos mais componentes mas apenas removi aqueles que pensei que poderia vir a usar.
 
componentes aproveitados
 
Acabei por também reparar que com esta técnica não existe tanta inalação de fumos uma vez que podemos (e devemos!) manter a cabeça afastada da placa. Os tempos em que era necessário estar a observar os componentes de perto e a inalar os fumos da solda acabaram. Assim que comecei aprendi uma valiosa lição: primeiro devemos sempre dessoldar os conectores. Caso contrário, eles irão derreter enquanto tentamos remover outros componentes. Aprendi-o da pior forma :x. Contudo, no geral é bastante fácil dessoldar os componentes utilizando a pistola de ar quente. Basta apontar a pistola aos terminais por alguns segundos e depois agarrar o componente com uma pinça ou alicate e puxá-lo.
Convém ter cuidado com as queimaduras! Como segurança podem e devem usar luvas e óculos de protecção. Ah! E uma última coisa muito importante… não se esqueçam de levar os componentes e placas que não se aproveitam de forma apropriada. Levem-nos para o ponto electrão mais próximo.

Achou esta publicação útil? Deseja contribuir para outros projectos envolvendo ciências computacionais, electrónica, robótica ou mecatrónica que serão publicados neste blog? Se sim, pode fazer uma doação utilizando o botão do Paypal abaixo. Obrigado! 🙂
 
Donate